Previsão Video Music Awards 2015 [3] Melhor Vídeo de Rock

O rock foi um dos gêneros que mais sofreu com as atuais mudanças na música mainstream. Sempre entre os estilos mais ouvidos – e fortalecidos – pelo consumo nas rádios e a forte fã-base, atualmente está restrito a um nicho, pela própria ascendência e dominação do pop sobre todos os outros gêneros, que “popficou” tudo pela frente, até mesmo despersonalizando gêneros (veja o que o R&B vem sofrendo até hoje). O rock se fechou para não correr muito esse risco, e mesmo assim, pelo grande público não compreender exatamente o que é o rock e suas vertentes (e por muitos consumidores específicos focarem exatamente em tipos específicos – e mais tradicionais – e deixarem de lado possíveis “experimentações” dentro do rock), até mesmo jurados e bancadas de award penam para determinarem o que é exatamente rock ‘n roll.

O fato é que – entra ano, sai ano, entra modinha e sai modinha, a categoria de Melhor Vídeo de Rock sempre está no VMA marcando presença, mesmo que os indicados não sejam os preferidos do público, e mesmo que um dos concorrentes seja com um vídeo lançado há dois anos (!), o que mostra bem o quanto a bancada está “inteirada”. Mas é o que temos… Pelo menos a lista deste ano mostra alguns nomes que fizeram certo barulho e não deixaram o gênero sumir em 2014-15.

Primeiro os indicados:

BEST ROCK VIDEO
Hozier – “Take Me To Church”
Fall Out Boy – “Uma Thurman”
Florence + the Machine – “Ship To Wreck”
Walk the Moon – “Shut Up and Dance”
Arctic Monkeys – “Why’d You Only Call Me When You’re High?”

Agora a análise!

Continuar lendo

Anúncios

Previsões para o Grammy 2016

UPDATE: você pode conferir as previsões atualizadas (chamadas de “The Madness Edition”) aqui

A temporada de especulações sobre o Grammy do ano que vem começou! Jornalistas americanos como Paul Grein já fizeram suas previsões em JUNHO, mas seguindo a linha temporal do ano passado, decidi fazer as previsões por agora. O material já é vasto e os possíveis indicados estão meio que na cara, então acho que teremos pouquíssimas surpresas daqui até o final do ano. O período de eligibilidade para o Grammy vai de 1º de Outubro de 2014 até 30 de Setembro de 2015, ou seja, as bandas e os artistas que lançaram singles e álbuns nesse meio tempo podem submeter suas canções para a bancada do Grammy e torcer para que as escolhidas entrem no corte final.

A minha análise se restringe ao pop field, onde as cartas já estão lançadas desde o lançamento do “1989”, pra ser bem honesta, mas a depender do que as gravadoras mandem, podemos ter surpresas.

(lembrando que eu upo as previsões após o dia 30 de setembro com novas possibilidades porque até lá, muita água pode rolar)

A pergunta que não quer calar é: em quem já podemos apostar nossas fichas? Clique em “continuar lendo“!

Continuar lendo

Design de um Top 10 [18] Enquanto “See You Again” domina os charts…

Banner-Design-de-um-Top-10
A dominação de “See You Again” nos charts da Billboard continua. A pungente faixa em tributo a Paul Walker chegou à quarta semana seguida em primeiro lugar, ainda no auge das forças, liderando o chart digital, os charts de streaming e subindo na audiência das rádios – onde ainda não lidera, já que quem ocupa essa primazia é “Earned It”. Aparentemente, nem a estreia de “Pretty Girls” pode tirar a música de Wiz Khalifa e Charlie Puth do topo, e creio que pelo menos mais uma semana em primeiro está garantida.
No entanto, algumas curiosas (e já previstas) movimentações no chart podem surpreender o mais otimista dos fãs – e é sobre essa variação que o “Design de um Top 10” vai falar.
Top 1o Billboard Hot 100 (16/05/2015)
#1 See You Again – Wiz Khalifa feat. Charlie Puth
#2 Trap Queen – Fetty Wap
#3 Uptown Funk – Mark Ronson feat. Bruno Mars
#4 Earned It – The Weeknd
#5 Shut Up and Dance – Walk the Moon
#6 Sugar – Maroon 5
#7 Love Me Like You Do – Ellie Goulding
#8 Want to Want Me – Jason Derulo
#9 Nasty Freestyle – T-Wayne
#10 Thinking Out Loud – Ed Sheeran
Fetty Wap“Trap Queen”, do rapper novato Fetty Wap, já está aí, rondando a primeira posição. Em segundo lugar no Hot 100, também se encontra em segundo nos charts de streaming, e vem subindo nas rádios com consistência, sem a audiência gigante de “See You Again”, mas a promessa é de um belo acumulado no final do ano. A faixa está atualmente em sexto no iTunes, considerando as movimentações de The Voice e estreia da Britney Spears, é um grande feito para quem sequer tem uma performance num programa televisivo de grande impacto. Ou seja, a música já passou da fase de “apenas mais um viral” para hit certo de verão.

E se não fosse o buzz Paul Walker, talvez “Trap Queen” seria a música a destronar a “Uptown Funk season”? Mistérios…

 

 

Outra música mostrando a que veio é “Shut Up And Dance”, do Walk the Moon. O single subiu duas posições,Walk the Moon chegando ao quinto lugar e tem subidas fortíssimas no mediabase – só não supera, evidentemente, “See You Again”. Já com jeito de hit do verão, a música está em segundo no iTunes e com bom desempenho nos streams (a última fronteira, já que está crescendo muito nas rádios e no digital). Outra música que se manteve no top 10 do iTunes mesmo com as estreias e as “invasões” do The Voice, já podemos colocar como próximo hit do verão.

E acredito que, por causa do caráter mais “crossover” da música, acredito que “Shut Up and Dance” pode subir ao infinito e além em direção ao #1 na Billboard. (e se tiver uma apresentação num programa de impacto, melhor ainda).

 

 

Jason DeruloEntra ano e sai ano, Jason Derulo sempre hita alguma coisa dos seus álbuns (do debut, self-titled, ele botou três músicas no top 10: “Whatcha Say”, #1; “In My Head”, #5; “Ridin’ Solo, #9; do “Future History” nenhuma chegou ao top 10 – só “Don’t Wanna Go Home” peakou em #14; e do “Tattoos”/”Talk Dirty” , “Talk Dirty”, #3; e “Wiggle”, #5). Agora é o lead single do novo álbum, a grower as fuck “Want To Want Me”, que é a cara do verão, e com um jeito de R&B post-disco oitentista bem bacana, com direito a falsetes no refrão e muita sensualidade. Eu achava o refrão meio enjoado por causa desses falsetes, mas após duas ou três ouvidas, a música fica na cabeça, o que é impressionante.

Após subir duas posições, a faixa está na oitava posição no top 10, e desse ponto, a tendência é só subir. As músicas mais antigas até o momento estão em decadência (“Sugar”, “Love me Like You Do”, “Uptown Funk” e mesmo liderando nas rádios, acho que “Earned It” já chegou ao peak), e com o crescimento estável nas rádios – além do bom desempenho no chart digital (#3 no iTunes), acho que Derulo tem mais um hit do verão em mãos – e do tipo “Talk Dirty” de hit.

(P.S.¹: a minha visão do Jason Derulo hoje é um pouco diferente de quando ele começou. Lá atrás, em 2009, eu o via como uma versão B do Chris Brown, como um act R&B/urban que também dançava. Hoje, ele continua sendo esse act R&B/urban que sabe dançar, mas após os problemas pessoais, tretas e confusões do Chris Brown, é Derulo quem hoje cumpre a função do CB, sendo ainda por cima do tipo comportado – mesmo com o fim do noivado com a Jordin Sparks – e bem cool/crossover, com apelo geral – o que o Brown perdeu pós-agressão à Rihanna e todos os problemas posteriores)

(P.S.²: se você acha que Jason Derulo hita nos EUA, é porque não viu os peaks dele na Inglaterra. O cara domina por lá!)

 

Se “Trap Queen” já pode ser chamado de hit do verão, a cota viral do top 10 pode ser creditada a “Nasty T-WayneFreestyle”, do (outro) rapper novato T-Wayne. A música, que subiu oito posições na Billboard, chegando à nona posição no Hot 100, teve subida meteórica nos charts por causa de vídeos virais – que influenciaram nos streams e nas vendas digitais (#3 nos charts de streaming e#4 nos charts digitais). Como as rádios tiveram uma audiência pífia da música, elas não entraram na equação que levou o single ao top 10.

Mas “Nasty Freestyle” pode ser uma nova TQ – mais um rap no top 10, provável hit do verão – ou será mais um viral que vai e volta todos os anos? Olha, ouvindo a música, eu acho que será um viral mesmo. A música é basicamente um freestyle – T-Wayne versando por cima de uma batida pesada, sem refrão, por dois minutos e meio. Acho que sobrevive pelos virais, mas não sei se terá vida longa como “Trap Queen” (que é estruturada tradicionalmente como uma canção, tem refrão – e NF nem refrão tem).

 

 

E você? O que achou do top 10 da Billboard esta semana?

Design de um Top 10 [17] It’s been a long day, without you my friend

Banner-Design-de-um-Top-10

Paul Walker his impact, again! Além dos recordes de bilheteria que “Velozes e Furiosos 7” está batendo nos cinemas de todo o mundo, a trilha sonora também está destruindo nos charts. Tão veloz quanto os carros que pulam prédios e caem de despenhadeiros mas ninguém morre por conta disso (é isso mesmo que você leu, vá ver o filme, é divertidíssimo!) foi a subida de “See You Again”, música do rapper Wiz Khalifa com featuring do novato Charlie Puth, que subiu nove posições e destronou “Uptown Funk”, até então reinando absoluta no Hot 100 em primeiro lugar.

O #1 do Wiz não alegrou apenas fãs e admiradores da (ótima) canção – tiveram muitos lambs (como são chamados os fãs da Mariah Carey) torcendo por “See You Again” porque temiam que “Uptown Funk” superasse o recorde de “One Sweet Day”, de 16 semanas em #1. Recorde mantido, corações tranquilizados; mas o Design de hoje precisa falar dessas movimentações – e de alguns moradores do top 10.

 

Top 10 Billboard Hot 100 (25/04/2015)

#1 See You Again – Wiz Khalifa feat. Charlie Puth

#2 Uptown Funk! Mark Ronson feat. Bruno Mars

#3 Sugar – Maroon 5

#4 Trap Queen – Fetty Wap

#5 Thinking Out Loud – Ed Sheeran

#6 Earned It – The Weeknd

#7 Love Me Like You Do – Ellie Goulding

#8 G.D.F.R. – Flo Rida feat. Sage The Gemini and Lookas

#9 Shut Up And Dance – Walk the Moon

#10 Style – Taylor Swift

 

Wiz KhalifaPrimeiro, claro, vamos falar do épico #1 desta semana, “See You Again”, que conseguiu tirar “Uptown Funk” do topo com uma subida meteórica de nove posições, catapultada pelo lançamento do “Velozes e Furiosos 7” assim como a cena final em que a música é utilizada, com muita sensibilidade e emotividade. Mas a caminhada absurda da faixa foi reforçada por uma liderança que nenhuma das outras rivais de UF tinham conseguido chegar: além do 1º no Hot 100, a música ficou praticamente toda a semana (and counting) em 1º no iTunes; assim como a primeira posição no chart Streaming Songs (que conta os serviços de Streaming em geral, desde o Spotify até o Youtube). A música até o momento está em 49º nos charts de Rádio – ou seja, o airplay realmente não contou na escalada ao topo da música (já que UF ainda lidera na audiência); o que colocou Wiz e Charlie lá no #1 foram as vendas digitais massivas (464 mil, as maiores do ano até agora), além do crescimento absurdo no streaming. Essas vendas + stream (com a faixa sendo ouvida nos serviços de audição como Spotify, Deezer e afins, além do vídeo simples e eficiente recebendo visualizações como chuva no inverno) fizeram com que “See You Again” suplantasse UF onde o throwback funk de Mark & Bruno eram mais fortes: nas rádios.

E olha, a julgar pelo hype do filme, uma das maiores bilheterias do ano, perto de alcançar o bilhão (desde a estreia em 03 de Abril, já levou pra casa 803 milhões de dólares em bilheterias), além do fato da música ser absolutamente identificável, com forte pegada crossover e já com a marca de “homenagem a um ator falecido subitamente”, terá longa vida nas rádios – e talvez no topo.

(curiosidade 1: este é o 2º #1 do Wiz Khalifa – o primeiro foi com o debut, “Black and Yellow”, no já distante 2011; enquanto é o primeiro topo do novato Charlie Puth. Isso é que é início de carreira!

curiosidade 2: percebeu como a música que tirou de “Uptown Funk” a possibilidade de chegar no recorde de Mariah Carey e Boys II Men com “One Sweet Day” lida com o mesmo tema da balada da diva?)

É hora de chorar mais um pouquinho com “See You Again”:

 

Mas temos que dar a César o que é de César: galera preocupada com “See You Again” x “Uptown Funk” e nem perceberam a subida discretaFetty Wapmas interessante de duas posições de “Trap Queen“, hein? De pouquinho em pouquinho, a música do Fetty Wap pode ser uma das canções do verão, já que não para de subir. A faixa também está em quarto lugar no iTunes, está em segundo no Streaming Songs e já está no top 20 do Mediabase. Não me parece ainda ter chegado no seu pico, e não me surpreenderia se permanecesse por aí, rondando o quarto, terceiro, segundo, durante algumas semanas, até que fizesse a “All Of Me” e beliscasse um #1 na Billboard.

Como eu tinha dito há alguns “Designs” atrás, acredito que “Trap Queen” vá fazer morada no top 10, e aguente o aguerrido e sempre frenético verão americano. É um rap/hip hop menos uptempo e mais midtempo, com um certo balanço e bem catchy, e enquanto hitmakers provadas como Rihanna parecem estar em outro humor (sério, que era mais maluca é essa da RihRih? Qual é o single mesmo? Só “FourFiveSeconds” se provou consistente, logo a menos comercial delas), outros nomes famosos como Katy Perry estão em fim de era e Taylor Swift vai seguir em turnê, quem chegar com faixas fortes no verão precisa conquistar o público – que, naturalmente, vai consumir mais uma música conhecida e familiar, que ainda não está saturada pelas audições repetitivas; e principalmente, pelas performances em todo o canto.

Porque, se o Fetty Wap conseguir uma apresentação num programa de impacto, esse #1 pode vir.

Enquanto o rapper ronda o topo discretamente, confira “Trap Queen”:

 

Walk the MoonE quem acompanha os fóruns de música já deve estar sabendo dessa música, “Shut Up and Dance”, da banda Walk The Moon. E é bom continuar a saber, porque a depender de como a música chegou ao top 10, subindo três posições e se instalando no nono lugar, com certeza esse não será o peak dos rapazes. A música tem algumas das maiores subidas nas rádios (atrás do peso-pesado “Earned It”, que aparentemente pode não ser #1 com o smash “See You Again”; e de, claro, SYA), além de estar em 2º no iTunes tem uns bons dias e, apesar de ainda não ser uma força nos streamings, agora com o top 10 a tendência é crescer ainda mais (eu mesma já vou catar a música pra adicionar no meu Spotify).

Afinal de contas, “Shut Up and Dance” é aquele upbeat pop/powerpop/rock cheio de synths e bem anos 80 que parece trilha sonora de filme do Brat Pack. Nada contra, achei ótima! Divertida, pra cima, a letra bem sacadinha e o clipe igualmente oitentista e bem humorado, a música tem um refrão forte e que fica na cabeça depois de horas! A chegada da música nesse ponto do chart é importante, porque ela ainda está em crescimento; e ao contrário de “Trap Queen”, que vem crescendo mais discretamente; SUAD tem crescimentos maiores e bem vistosos, o que evidentemente a coloca entre as prováveis “canções do verão”, mas também na luta pelo #1.

Além disso, “Shut Up and Dance” ainda tem o plus de ser mais uma música do “efeito indie” que sempre acomete a Billboard desde o Foster The People e “Pumped Up Kicks em 2011. Já percebeu que to-do ano tem um act alternativo que estoura, fica mofando no top 10 (ou vira 1º) e ninguém sabe por que os americanos acabaram curtindo a música? Pode inserir aqui o fun., Gotye, a Lorde (que depois virou A-List do pop), Bastille, Hozier ❤ … Esse pode ser o ano do Walk The Moon.

(aliás, os caras não são novatos na cena. A banda está na estrada desde 2010 e “Shut Up and Dance” é single do segundo álbum deles lançado por uma gravadora, “Walk The Moon” – eles chegaram a lançar um álbum de forma independente antes)

Áinda não conhece essa música? Pois fique viciado em “Shut Up and Dance”!

E você, o que achou do novo #1?