Será que existe mesmo a “maldição do quarto álbum”?

Fazer sucesso é um desafio que não começa só quando você lança o CD ou sai em tour. Às vezes, você não passa nem do primeiro single, ou é one-album wonder; mas geralmente pra chegar lá, é um percurso em que você precisa saber quem é musicalmente, ser inteligente, ouvir os mais experientes; e talvez engolir muito sapo (quer dizer, engolir as exigências da gravadora) até ter liberdade para ser “você” como artista.

Geralmente, quando o artista passa do primeiro CD, o segundo álbum é o desafio de mostrar que tem fôlego para resistir aos tubarões da indústria. Já o terceiro CD é, no geral, uma continuidade do sucesso e sedimentação do artista, que às vezes assume alguns riscos, mas nunca sem sair de sua zona de conforto. O quarto álbum, por sua vez, acontece num momento em que o artista, confortável com sua posição, decide que é hora de fazer algo “diferente”.

E é aí que ocorre a merda…

Continuar lendo
Anúncios

Previsões para o Grammy 2016

UPDATE: você pode conferir as previsões atualizadas (chamadas de “The Madness Edition”) aqui

A temporada de especulações sobre o Grammy do ano que vem começou! Jornalistas americanos como Paul Grein já fizeram suas previsões em JUNHO, mas seguindo a linha temporal do ano passado, decidi fazer as previsões por agora. O material já é vasto e os possíveis indicados estão meio que na cara, então acho que teremos pouquíssimas surpresas daqui até o final do ano. O período de eligibilidade para o Grammy vai de 1º de Outubro de 2014 até 30 de Setembro de 2015, ou seja, as bandas e os artistas que lançaram singles e álbuns nesse meio tempo podem submeter suas canções para a bancada do Grammy e torcer para que as escolhidas entrem no corte final.

A minha análise se restringe ao pop field, onde as cartas já estão lançadas desde o lançamento do “1989”, pra ser bem honesta, mas a depender do que as gravadoras mandem, podemos ter surpresas.

(lembrando que eu upo as previsões após o dia 30 de setembro com novas possibilidades porque até lá, muita água pode rolar)

A pergunta que não quer calar é: em quem já podemos apostar nossas fichas? Clique em “continuar lendo“!

Continuar lendo

O que Madonna estará preparando?

MadonnaMadonna não dá ponto sem nó. Senão, não seria a Rainha do Pop, influenciando e provocando as novatas até hoje. Por isso, enquanto as outras divas pop se engalfinham em busca de #1 e vendas altas de álbuns, Madge está trabalhando silenciosamente – Diplo, Natalia Kills, Alicia Keys e Avicci estão entre os nomes envolvidos no seu próximo álbum, ainda sem título.

No entanto, algum hacker engraçadinho e fã de música decidiu deixar a internet em polvorosa neste sábado, vazando duas faixas que podem entrar para o novo CD da Madge: “Rebel Heart” e “Wash All Over Me”. As duas músicas têm produção do Avicci, e são um pop que flerta com o eletrônico, mas de uma forma mais orgânica. Ambas fogem do binômio “festa festa festa pegação” e mostram uma Madonna contemplativa e reflexiva. (e talvez uma base para o próximo trabalho da Rainha)

“Rebel Heart” (ouça) é mais pop que eletro e tem violões conduzindo a música, numa pegada meio country (o que o Avicci mostrou em seus trabalhos mais recentes). A letra é confessional e autobiográfica, como se estivesse contando a trajetória da vida da cantora, e o trabalho vocal da Madge aqui é muito bom, com destaque para as notas mais graves. É uma música com grande potencial. “Wash All Over Me” (ouça) é puxada mais para o eletrônico, com direito a break, mas tem uma organicidade mais “retrô”, lembrando algo mais anos 70, meio ABBA, com outra letra reflexiva, sobre se deixar levar num mundo em conflito. Outro trabalho vocal muito bom da Madonna aqui, numa faixa que apesar de não ter pinta de hit, é bem feita. Também tem dedo do Avicci, mas lembrando que essas faixas ainda são versões demo – ou seja: não chegaram à sua versão final e podem ter passado por vários produtores além do DJ.

O que podemos esperar através dessas duas faixas? Bem, não sabemos sequer se elas vão passar pelo corte final – como “Rebel Heart” e  “Wash All Over Me” vazaram bem antes do tempo, e o empresário da Madonna está bem furioso com esse vazamento. As faixas, como eu tinha dito, ainda não estão finalizadas, mas se o resto do álbum seguir essa linha menos fútil (como acabou sendo com “Hard Candy” e “MDNA”) e buscando conceitos mais próximos a uma de suas obras primas (“Ray of Light”, mesmo que a sonoridade não seja a mesma), acho que temos uma vitória para Madge por aí.

E você, o que achou?