Previsão Video Music Awards 2015 [3] Melhor Vídeo de Rock

O rock foi um dos gêneros que mais sofreu com as atuais mudanças na música mainstream. Sempre entre os estilos mais ouvidos – e fortalecidos – pelo consumo nas rádios e a forte fã-base, atualmente está restrito a um nicho, pela própria ascendência e dominação do pop sobre todos os outros gêneros, que “popficou” tudo pela frente, até mesmo despersonalizando gêneros (veja o que o R&B vem sofrendo até hoje). O rock se fechou para não correr muito esse risco, e mesmo assim, pelo grande público não compreender exatamente o que é o rock e suas vertentes (e por muitos consumidores específicos focarem exatamente em tipos específicos – e mais tradicionais – e deixarem de lado possíveis “experimentações” dentro do rock), até mesmo jurados e bancadas de award penam para determinarem o que é exatamente rock ‘n roll.

O fato é que – entra ano, sai ano, entra modinha e sai modinha, a categoria de Melhor Vídeo de Rock sempre está no VMA marcando presença, mesmo que os indicados não sejam os preferidos do público, e mesmo que um dos concorrentes seja com um vídeo lançado há dois anos (!), o que mostra bem o quanto a bancada está “inteirada”. Mas é o que temos… Pelo menos a lista deste ano mostra alguns nomes que fizeram certo barulho e não deixaram o gênero sumir em 2014-15.

Primeiro os indicados:

BEST ROCK VIDEO
Hozier – “Take Me To Church”
Fall Out Boy – “Uma Thurman”
Florence + the Machine – “Ship To Wreck”
Walk the Moon – “Shut Up and Dance”
Arctic Monkeys – “Why’d You Only Call Me When You’re High?”

Agora a análise!

Continuar lendo

Anúncios

Previsões para o Grammy 2016

UPDATE: você pode conferir as previsões atualizadas (chamadas de “The Madness Edition”) aqui

A temporada de especulações sobre o Grammy do ano que vem começou! Jornalistas americanos como Paul Grein já fizeram suas previsões em JUNHO, mas seguindo a linha temporal do ano passado, decidi fazer as previsões por agora. O material já é vasto e os possíveis indicados estão meio que na cara, então acho que teremos pouquíssimas surpresas daqui até o final do ano. O período de eligibilidade para o Grammy vai de 1º de Outubro de 2014 até 30 de Setembro de 2015, ou seja, as bandas e os artistas que lançaram singles e álbuns nesse meio tempo podem submeter suas canções para a bancada do Grammy e torcer para que as escolhidas entrem no corte final.

A minha análise se restringe ao pop field, onde as cartas já estão lançadas desde o lançamento do “1989”, pra ser bem honesta, mas a depender do que as gravadoras mandem, podemos ter surpresas.

(lembrando que eu upo as previsões após o dia 30 de setembro com novas possibilidades porque até lá, muita água pode rolar)

A pergunta que não quer calar é: em quem já podemos apostar nossas fichas? Clique em “continuar lendo“!

Continuar lendo

Indicados ao Grammy 2015 – Canção do Ano

Banner Canção Ano

A categoria de Canção do Ano é mais uma que faz parte do General Field, e como é dada exclusivamente aos compositores, é o grande momento de glória de quem escreve as músicas mais icônicas, bem sucedidas ou impactantes do ano que passou. Em 28 casos, as canções que vencem a categoria de Canção levam Gravação do Ano também. E 17 vencedores compuseram e interpretaram a canção (entre os casos clássicos estão Billy Joel por “Just The Way You Are” em 1979,  o homem-mito-lenda Christopher Cross com “Sailing” em 1981, Bobby McFerrin por “Don’t Worry Be Happy” em 1989 e Seal por “Kiss From A Rose” em 1996).

Na turma mais recente, alguns clássicos da música pop já foram premiados nesta categoria, como a saudosa Amy Winehouse por “Rehab” em 2008, Beyoncé (e Tricky Stewart, The-Dream e Thaddis “Kuk” Harrell) por “Single Ladies” em 2009, Adele (e Paul Epworth) com “Rolling in The Deep” em 2012 e Lorde (quer dizer, Ella O’Connor e Joel Little) por “Royals” ano passado.

A pergunta que fica é: qual será a próxima música que vai entrar neste panteão de clássicos?

Indicados

“Chandelier,” Sia
“All About That Bass,” Meghan Trainor
“Shake It Off,” Taylor Swift
“Stay With Me (Darkchild Version),” Sam Smith
“Take Me to Church,” Hozier

Acompanhe as análises após o pulo!

Continuar lendo

Design de Um Top 10 [10] Com um número fechado, vem novas responsabilidades

Banner-Design-de-um-Top-10

Chegamos à décima edição do “Design de um Top 10”! Jamais pensei que essa série teria futuro no blog (por conta de minha natureza proteladora), mas estou muito feliz em ter conseguido manter o “Design” ativo desde que o “Duas Tintas de Música” foi criado. Por isso, esta edição #10 tem uma pequena novidade: além dos textos curtos sobre os singles de destaque da semana, também teremos o vídeo das músicas pra você entender porque essas faixas chegaram aonde estão na Billboard.

Mas primeiro, confira o Top 10 do Hot 100, que conta com novos moradores, boas mexidas e um #1 que promete morar no topo.

Top 10 Billboard Hot 100 (13/12/2014)

1. Blank Space – Taylor Swift
2. All About That Bass – Meghan Trainor
3. Take Me to Church – Hozier
4. Shake It Off – Taylor Swift
5. Animals – Maroon 5
6. The Heart Wants What It Wants – Selena Gomez
7. I’m Not the Only One – Sam Smith
8. Uptown Funk – Mark Ronson feat. Bruno Mars +9
9. Habits (Stay High) – Tove Lo
10. Love Me Harder – Ariana Grande & The Weeknd

Taylor Swift continua dominando as paradas com o segundo single do “1989”, a ótima “Blank Space”. Apesar de não ter os streams do Spotify no sustento da música, as visualizações do Youtube já ajudam bastante no streaming. Sem contar a primeira posição no iTunes, de onde não sai nem por decreto; e das rádios, onde apresenta as maiores subidas.

Mas Taylor é a pessoa do momento, a gente já falou demais dela; hora de destacar outros três singles que estão com ótimo desempenho na Billboard…

Hozier“Take Me to Church” – Hozier

Um morador já conhecido do top 10 da Billboard é o irlandês Hozier, que manteve a terceira posição com a faixa que o apresentou à América, “Take Me To Church”, uma midtempo rock com uma pegada melancólica e uma letra que fala de um amor extremamente dependente (e talvez nocivo?) mas que o eu-lírico não tem a menor intenção de se desprender dele. É sempre uma surpresa ver os ouvintes americanos, que gostam de coisas conhecidas e familiares, abraçarem de forma tão aberta uma faixa longe do pop mais palatável. Tem um tempinho que uma faixa rock chegou ao top 10, né? Mas a época é perfeita para isso: esse tipo de música é bem típica da época, mais própria a aceitar baladas e midtempos que faixas mais up (apesar de termos alguns exemplares aqui que fogem a regra). Por isso, o sucesso da faixa faz parte de uma tendência – mas é inegável que a música é muito boa. Boa não, espetacular. Fiquei completamente hipnotizada pela música e a letra é insana, cheia de metáforas sobre religiosidade e amor tóxico. Por isso que tem muito crítico apostando na música como uma surpresa no Grammy 2015 (apesar de ter sido lançada na Irlanda em Setembro de 2013, a música foi lançada nos EUA em Junho, dentro do período de eligibilidade.) tanto como música como possivelmente o clipe, que tem um alto nível de tensão.

Confira aqui:

Selena Gomez“The Heart Wants What It Wants” – Selena Gomez

Selena Gomez lançou a primeira compilação de sucessos da carreira, “For You”, como parte do encerramento do contrato com a carne de pescoço gravadora Hollywood Records. Para coroar a nova fase da ex-Disney, ex-namorada de Jusitin Bieber e nova contratada da Interscope (mesma gravadora de Eminem e Lady Gaga), Selena lançou a música que promete ser a baladinha de final de ano, “The Heart Wants What It Wants“, que aproveitou uma apresentação visualmente impecável e emocionante no American Music Awards para crescer como um foguete no iTunes. Amparada pelas rádios, a faixa (que aparentemente fala da relação dela com Bieber) subiu 14 posições na Billboard, chegando à sexta posição. É o melhor pico da cantora nos charts, empatado com “Come & Get It”, do primeiro álbum solo. A boa repercussão da música, acompanhada por um clipe em preto-e-branco revelador, além da estabilidade de “The Heart Wants What It Wants” tanto nas rádios, no chart digital e nos streams, prometem uma trajetória bem sucedida do single para Selena, e uma maneira impecável de 1. sair com um bom resultado da antiga gravadora; 2. preparar uma imagem madura para a nova empreitada.

E o clipe mostra um pouquinho dessa nova imagem, que promete.

???????????“Uptown Funk” – Mark Ronson feat. Bruno Mars

Outro mais novo morador do top 10 foge um pouquinho do conceito “balada triste de fim de ano” – está mais para um hit poderoso de verão, mas “Uptown Funk” é o primeiro single de “Uptown Special”, novo álbum do produtor Mark Ronson, que chamou seu parceiro musical Bruno Mars (os dois trabalharam juntos no segundo álbum do havaiano, “Unorthodox Jukebox”) e a faixa já nasceu como hit. A música é grudenta, bem produzida, tem uma pegada forte anos 70 com frescor atual e conta com um dos produtores mais consagrados da música atual + um dos reis das rádios americanas. Por isso, a música, que foi lançada nas rádios com grande aceitação, ainda não saiu do top 10 do iTunes e é uma das mais ouvidas no Viral 50 do Spotify. Beneficiada por uma apresentação brilhante no Saturday Night Live (onde Mark e Bruno apresentaram outra faixa do novo álbum, a James-Brown-inspired “Feel Right”, com vocais do rapper Mystikal), a música subiu nove posições na Billboard e conta o primeiro top 10 de Ronson como artista, e o terceiro como produtor (as outras duas oportunidades com “Rehab”, da Amy Winehouse, em 2007; e “Locked Out Of Heaven”, do Bruno Mars, em 2012 e 2013). Já para Bruno, um habitué do top 10, é a 12ª entrada dele por lá, empatando com outra hitmaker, Rihanna.

O clipe da música já foi lançado, e é tão cool quanto a música. A gente já falou do vídeo por aqui, mas não há problema em ver de novo 😉

E você? O que achou do top 10 da Billboard essa semana?