Grammy 2020: achei que foi demais

(recomenda-se a leitura deste post ouvindo a música abaixo)

Quando eu comentei sobre a possibilidade de sweep (ou seja, “fazer a limpa”) no Grammy nesta edição de 2020, eu imaginei que seria algo estilo Adele. Não a quebra de mais um recorde histórico, que já durava 39 anos – a vitória nas quatro categorias do Big 4 (Álbum, Canção e Gravação do Ano, e Artista Revelação). Mas Billie Eilish conseguiu ainda mais: artista mais nova a ganhar AOTY, primeira artista feminina e artista mais jovem a ganhar o Big 4.

Opinião pessoal? Achei que foi demais, especialmente num ano tão vasto de indicados interessantes, que prometiam uma concorrência equilibrada e pulverizada.

Confesso que eu acreditava na chamada CHRISTOPHER CROSS SITUATION (que agora terei de mudar o nome) para a Lizzo, até por conta da prevalência dela até o final do período de elegibilidade – e pelo momento da carreira: apesar da Lizzo ter estourado agora, ela já tem um histórico e é uma artista mais “pronta” que Billie. Eu realmente acreditei que a Academia esperaria um pouco até entregar outros prêmios, por causa até dessa juventude. Talvez um BNA, ou Pop Solo. Mas não absolutamente tudo.

Dito isso, creio que tenha sido muita coisa porque em Gravação do Ano, por exemplo, a vitória moral era de “Old Town Road” – afinal de contas, essa é a categoria dos hits, e na maioria das vezes, é o maior hit que é premiado – considerando também a qualidade, óbvio. É muito raro que uma faixa que não hitou leve esse prêmio (a gente tem que ir até 2009 para chegar a um exemplo, com “Please Read the Letter” do Robert Plant e Alison Krauss que ficou pelo Bubbling Under); e entre as músicas de maior desempenho, “Old Town Road” foi literalmente a conversa cultural do ano, quebrou recordes e discutiu barreiras de gênero.

(mas confesso que até me surpreendi com a vitória em Pop Collab, baby steps né Grammy)

Quanto a Canção do Ano e Álbum do Ano, creio que existiam álbuns melhores e canções mais bem resolvidas, mas entendo bem a decisão por Canção, até porque tem precedente de compositores prodígio levando o prêmio – no caso a Lorde, alvo das comparações com a Billie – e a estrutura da letra junto com o arranjo são bons e envolventes. E no Pop Field, “Thank U, Next” merecia uma sorte melhor em Álbum Pop.

O fato é que…

O “When We Fall Asleep…” é representativo do ano e da “nova ordem musical” com o genre-bending, não saber que gênero é e conversar com vários estilos mantendo a personalidade. Faz sentido chamar de “voz da geração”, especialmente porque essa é uma geração que não se define ou se limita; e tanto Billie quanto Lil Nas X sabem trabalhar bem com esse grupo, da forma que encontraram (não se esqueçam de que Nas X era criador de memes no twitter e participava do fandom da Nicki Minaj na internet). Mas eu particularmente considero que dava para dividir as vitórias e pulverizar o Grammy até para representar ainda melhor essa fase de transição musical da disputa entre os puristas e os integrados (btw, quem ganhou foram os integrados nessa disputa).

Repito: pode ser que meu principal problema com a Billie seja geracional: eu não consigo me conectar com ela e TUDO BEM, nem todos os artistas devem se conectar com a minha geração. Mas estou curiosa para os próximos passos… Especialmente a música do Bond (que aí eu posso me envolver por motivos de fã da franquia hahaha não achei uma boa escolha para a trilha, e espero me enganar) além do famigerado segundo CD, que é um make it or break it.

… O Grammy precisa se conectar com a nova década

Eu dormi DUAS DA MANHÃ tendo que acordar cedo pra trabalhar, e enquanto tivemos apresentações dinâmicas como as de Tyler, The Creator, Lizzo, Ariana (apesar dos pesares vocais) e Lil Nas X (junto com um BTS que merecia uma performance só deles), ficamos aturando um miolo entediante com aquele… Aquilo com bailarinos e whatever was happening on stage + intervenções demoradas e pouco efetivas de Alicia Keys se arrastando por sei lá, QUATRO horas de premiação (exceto na homenagem a Kobe Bryant, que ela segurou bem). Eu já disse que dormi às DUAS DA MANHÃ?

Há anos que o Grammy prefere trazer performances, muitas vezes completamente desnecessárias, enquanto 95% das premiações são apresentadas no show não-televisionado. Pior: as premiações na hora da TV são tão esparsas e com escolhas tão wtf (Melhor Álbum de Comédia? Todo mundo sabe que ano que vem some do telecast, assim como foi com a premiação de Álbum para Musical no ano de “Hamilton” só por causa do hype) que tem uma hora em que você esquece qual a função do award: premiar o melhor da música (teoricamente). Quando ele foi dinâmico e divertido, justamente com os acts mais novos e que estão puxando o discurso cultural, o show foi excepcional. Quando não teve dinamismo, foi um porre.

Passou e muito a hora da organização discutir uma premiação mais rápida, focando no que interessa. Quer performance de algum indicado? Separa uma categoria do big 4 como Canção ou Gravação e coloca os indicados para se apresentar. Quer colocar um act lançando um novo single? Escolhe um, o mais bombado, pra chamar audiência. Quer sessão nostalgia? Convoca um cantor das antigas que está com turnê de despedida lucrando horrores e separa um espaço só pra ele. É muita gente cantando e POUCO prêmio sendo dado, e pior, você não tem nem mais discurso bacana, momentos épicos, e sim uma quantidade absurda de cantores e bandas empurrados num tempo que por incrível que pareça fica apertadíssimo e aí saem apresentações coladas umas às outras. Nem dá espaço para uma standing ovation.

Por isso que eu acredito numa premiação mais curta e dinâmica, e com espaço igual para show e prêmio. Afinal de contas, a gente não quer ver apenas nosso fave arrasando no palco, a gente quer é ver ele ou ela levando o gramofone e fazendo algum discurso para lembrarmos eternamente.

E aí? O que achou do Grammy 2020? Concordou com os vencedores? E o show no geral? Curtiu ou achou tedioso? Abra seu coraçãozinho nos comentários!

8 comentários sobre “Grammy 2020: achei que foi demais

  1. Fiz a minha versão dos GRAMMYS e estes são os indicados e vencedores!

    ALBUM OF THE YEAR:
    ARIANA GRANDE – THANK U, NEXT
    BEYONCÉ – HOMECOMING: THE LIVE ALBUM
    BILLIE EILISH – WHEN WE ALL FALL ASLEEP, WHERE DO WE GO?
    BON IVER – I,I
    H.E.R – I USED TO KNOW HER
    KHALID – FREE SPIRIT
    MADONNA – MADAME X
    LIZZO – CUZ I LOVE YOU (DELUXE) – winner

    RECORD OF THE YEAR:
    ARIANA GRANDE – 7 RINGS
    HALSEY – WITHOUT ME
    LIL NAS X FT. BILLY RAY CYRUS – OLD TOWN ROAD (REMIX) – winner
    LIZZO – TRUTH HURTS
    SAM SMITH, NORMANI – DANCING WITH A STRANGER
    KHALID – TALK
    POST MALONE, SWAE LEE – SUNFLOWER – winner
    GARY CLARK JR. – THIS LAND

    SONG OF THE YEAR:
    21 SAVAGE FT. J.COLE – A LOT
    ARIANA GRANDE – THANK U, NEXT
    LADY GAGA – ALWAYS REMEMBER US THIS WAY
    TAYLOR SWIFT – LOVER
    LIZZO – TRUTH HURTS – winner
    KHALID – TALK
    J.COLE – MIDDLE CHILD
    LEWIS CAPALDI – SOMEONE YOU LOVED

    BEST NEW ARTIST:
    BILLIE EILISH
    BLUEFACE
    CALUM SCOTT
    JID
    LAUV
    LIL NAS X
    LIZZO
    YOLA – winner

    POP VOCAL ALBUM:
    ARIANA GRANDE – THANK U, NEXT
    BEYONCÉ – THE LION GIFT: THE KING
    BILLIE EILISH – WHEN WE ALL FALL ASLEEP, WHERE DO WE GO? – winner
    LIL NAS X – 7
    TAYLOR SWIFT – LOVER

    POP SOLO PERFORMANCE:
    ARIANA GRANDE – 7 RINGS
    BEYONCÉ – SPIRIT
    HALSEY – WITHOUT ME
    LIZZO – TRUTH HURTS – winner
    TAYLOR SWIFT – YOU NEED TO CALM DOWN

    POP/DUO GROUP PERFORMANCE:
    ARIANA GRANDE, SOCIAL HOUSE – BOYFRIEND
    JONAS BROTHERS – SUCKER
    LIL NAS X FT. BILLY RAY CYRUS – OLD TOWN ROAD (REMIX)
    MADONNA, MALUMA – MEDELLÍN – winner
    MARK RONSON FT. MILEY CYRUS – NOTHING BREAKS LIKE A HEART
    TAYLOR SWIFT FT. BRENDON URIE – ME!

    BEST ROCK ALBUM:
    GARY CLARK JR. – THIS LAND
    LANA DEL REY – NORMAN FUCKING ROCKWELL – winner
    THE 1975 – A BRIEF INQUIRY INTO ONLINE RELATIONSHIPS – winner
    WEEZER – WEEZER (BLACK ALBUM)
    WEYES BLOOD – TITANIC RISING

    ROCK SONG:
    BRUCE SPRINGSTEEN – TUSCON TRAIN
    GARY CLARK JR. – THIS LAND
    LANA DEL REY – NORMAN FUCKING ROCKWELL – winner
    SHERYL CROW – BEWARE OF DARKNESS
    VAMPIRE WEEKEND – HARMONY HALL

    ROCK PERFORMANCE:
    GARY CLARK JR. – THIS LAND
    LANA DEL REY – NORMAN FUCKING ROCKWELL
    BON IVER – HEY, MA – winner
    SHERYL CROW – BEWARE OF DARKNESS
    THE 1975 – GIVE YOURSELF A TRY

    BEST RAP ALBUM:
    ANDERSON .PAAK – OXNARD
    MEGAN THEE STALLION – FEVER
    TYLER, THE CREATOR – IGOR – winner
    DREAMVILLE – REVENGE OF THE DREAMERS III
    A BOOGIE WIT DA HOODIE – HOODIE SZN

    RAP SONG:
    21 SAVAGE FT. J.COLE – A LOT
    CARDI B – MONEY
    J.COLE – MIDDLE CHILD – winner
    LOGIC – HOMICIDE
    LIL NAS X – PANINI

    RAP PERFORMANCE:
    CARDI B & BRUNO MARS – PLEASE ME
    CARDI B – PRESS
    J.COLE – MIDDLE CHILD – winner
    LIL NAS X – PANINI
    NIPSEY HUSSLE FT. RODDY RICCH & HIT-BOY – RACKS IN THE MIDDLE

    BEST R&B ALBUM:
    ANDERSON .PAAK – VENTURA
    ELLA MAI – ELLA MAI – winner
    H.E.R – I USED TO KNOW HER
    KEHLANI – WHILE WE WAIT
    MARIAH CAREY – CAUTION

    URBAN CONTEMPORARY ALBUM:
    BEYONCÉ – HOMECOMING: THE LIVE ALBUM
    KHALID – FREE SPIRIT
    LIZZO – CUZ I LOVE YOU (DELUXE) – winner
    SOLANGE – WHEN I GET HOME
    NAO – SATURN

    R&B SONG:
    ALICIA KEYS – RAISE A MAN
    BEYONCÉ – BEFORE I LET GO – winner
    H.E.R FT. BRYSON TILLER – COULD’VE BEEN – winner
    KHALID – TALK
    LIZZO – JUICE

    R&B PERFORMANCE:
    BEYONCÉ – SPIRIT
    H.E.R FT. BRYSON TILLER – COULD’VE BEEN
    KHALID – TALK – winner
    LIZZO – JUICE
    LIZZO – JEROME

    BEST MUSIC VIDEO:
    ARIANA GRANDE – THANK U, NEXT
    BEYONCÉ – SPIRIT – winner
    BTS FT. HALSEY – BOY WITH LUV
    LIL NAS X FT. BILLY RAY CYRUS – OLD TOWN ROAD (REMIX)
    MADONNA, MALUMA – MEDELLÍN

    O que a Marina acha dos indicados no geral?

  2. Aí Mari , muito longo…

    Das vitórias acho que no final das contas, por mais que deveria ter sido mais pulverizado, não dá para dizer que tiveram erros. A Billie merece bastante, não sei se tanto, a Lizzo ganhou bastante coisa e o próprio Lil X teve seu momento.

    AGORA, vamos conversar.

    Ariana e Mariah , 5º álbum das duas, 25 anos as duas, auge da crítica das duas, 2 debut singles em #1 um debut #2, cada uma com um record memorável na era (Mariah e One Sweet Day, Ariana top3) …. entre outras semelhanças (ex marido da Mariah e o scooter)… enfim.
    Lembro de um post seu sobre o Grammy de 96 e o possível motivo do que ocorreu com a Mariah, será que aqui temos um retorno pelo que a Pequena Ari fez no ano passado?

    • Olha, nunca tinha parado para pensar neste caso, mas a gente sempre diz que o Grammy é meio canceriano e não esquece.
      Pode sim ter algo a ver com a treta do ano passado; e infelizmente a gente não teve Ariana levando Pop Album, que merecia e muito.

  3. Oi Mari, tudo bem? Faz tempo que não comento aqui, mas saiba que estou acompanhando e vendo seus sumiços hahaha
    Enfim… O que posso dizer é que esse Grammy, para mim, foi um dos mais tediosos em ANOS. É claro que sempre esperamos injustiças (Ed Sheeran ao invés de Kesha e Gaga, Beck ao invés de Beyoncé, etc.), e neste ano, pela lista de indicados ter sido de alta qualidade, nem acho que tenha havido tanta injustiça assim.
    *NO ENTANTO*, é impossível não olhar para a lista de vitórias e achar desmerecida essa limpa feita pela Billie Eilish. Como um homem homossexual de 20 anos e fã de musica pop, eu entendo e até concordo com o impacto que Billie possui atualmente, além de ser merecido, pois ela toca em temas muito importantes. Porém, acho que forçaram a barra.
    Acho que Álbum do Ano foi uma disputa acirrada, principalmente considerando o Cuz I Love You, Norman Fucking Rockwell e Thank U, Next, que era o meu favorito, mas entendo que a Billie seja o rosto estampando uma nova geração e sonoridade para a música pop, então é de se entender sua vitória. No entanto, meu entendimento acaba por ai.
    Em Gravação, há um ponto. A música foi um hit apesar de todas as probabilidades, e é singular, mas nada que desqualifique o fenômeno crossover de Old Town Road e a mensagem poderosa de Truth Hurts. No entanto, é em Canção do Ano que meu queixo realmente caiu.
    Entendo que o Grammy tenha hábito de premiar novos artistas nessa categoria, porém, qualquer um dos outros indicados teria sido uma escolha melhor para Canção do Ano. A já citada Truth Hurts é um ícone e um exemplo de maestria em composição; Norman Fucking Rockwell só não foi premiada por uma questão de conservadorismo, uma vez que Lana é um primor de compositora; Lover exibe Taylor Swift no auge da sua técnica como compositora e até mesmo Someone You Loved, apesar de algumas falhas técnicas, é uma composição que seria mais fácil de engolir que Bad Guy levando essa categoria. (PS: Ainda acho uma calunia terem desconsiderado Thank U, Next nessa categoria).
    Para mim, o cenário ideal seria o seguinte:

    Album: WWAFA, WDEG
    Canção: Truth Hurts, NFR ou Lover
    Gravação: Old Town Road ou 7 rings
    New Artist: Billie ou Lizzo.
    Album Pop: Thank U, Next

    Beijos!

  4. Ai Marina!

    Depois de ter assistido ao Premiere, ainda tava com expetativas de ver por exemplo Lizzo e Lil Nas X levando no GF!

    Não gosto quando há sweep no General Field, Não gosto!

    Tou contente com algumas vitórias? Tou!

    Agora, Record e Song podiam ter empate em vez de dar só para Bad Guy.

    É por isso que acredito em racismo nos GRAMMYS! Engraçado, se Adele levasse em Pop Solo por Truth Hurts, ela ia levar no GF, agora só por Lizzo ser uma ARTISTA NEGRA, é que os votantes não querem dar prémio a ela. Mas tou contente que Lizzo levou em Pop Solo, ou seja, é prova que ela teve grande força dos votantes pop.

    Só espero que GRAMMYS 2021 seja mais interessante e tenha dominância dos negros!

    Por agora os Grammys 2021 serão:

    Record – Post Malone vs Roddy Ricch vs Lizzo vs Travis Scott
    Song – Post Malone vs Dua Lipa vs Roddy Ricch vs Travis Scott
    Album – Country ou Álbum de R&B vai levar esse prémio
    New Artist – DaBaby vs Lewis Capaldi vs Lil Tecca

    Agora acho que a corrida a Pop Solo será interessante. Temos Selena, agora Demi, teremos Lady Gaga, talvez Justin, talvez Harry e o resto ainda vamos ver…

    Agora em Pop/Duo acho que Lizzo leva com a versão remix de Good As Hell.

    O que acha Marina?

  5. A billie nao era minha preferida dentre os indicados mas acho q foi merecido sim (fiquei mais satisfeito do q no ano do bruno mars inclusive). Tava esperando q ela levasse umas 2 no big four, uma podendo ser album do ano, mas ela levar tudo n chegou a ser uma surpresa. So acho estranho esse lance da musica ganhar no big 4 e perder no field, no caso bad guy q ganhou RoY mas perdeu pop solo pra truth hurts, fica parecendo q n queriam premiar a lizzo nas principais

  6. Também achei um pouco demais a Billie ter levado tantos prêmios, ainda mais tendo a Lizzo e Lil Nas X como forte concorrente. Mas entendo que eles querem começar a década com um novo frescor, mesmo achando que a Lizzo e Lil também representa isso. Acho que única coisa negativa mesmo foi essa apresentação gigante, lembro que por um momento eu pensei que estava em um festival.

Comente aqui!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s