Demi Lovato na busca pela própria voz em “Confident”

2015 tem uma marca sutil, não sei se percebida pelos ouvintes casuais ou mais perceptivos de música pop. É o ano em que os artistas com grande público adolescente lançaram (ou vão lançar) materiais com objetivo de atingir um público maior – e por fim, fazer com que esse público perceba que os artistas cresceram. Selena Gomez mostrou uma maturidade reflexiva no ótimo “Revival”, enquanto Justin Bieber logo vai lançar o seu “Purpose” para provar aos críticos que pode ser levado a sério.

Cover CD Demi Lovato Confident Demi Lovato, que deve ter tido a trajetória mais cheia de conflitos de todas as estrelas teen do final da década de 2000, encontrou uma confiança e uma atitude mais sexy com o “Confident“, lançado em Outubro. Apesar dos dois primeiros singles, “Cool For The Summer” e “Confident”, não terem sido (ou serem) os smashs pretendidos de quem decidiu trabalhar com o midas Max Martin, Demi conseguiu o seu objetivo: crescer diante do público com um material que, entre altos e baixos, consegue passar uma mensagem de crescimento e desenvolvimento de uma autoestima mais positiva, com um importante ponto: a jovem consegue controlar aqui finalmente o seu potencial vocal em músicas nas quais ela consegue finalmente se impor como intérprete, para além de cantora.

Especialmente para uma artista que até o momento, ainda me parece em busca de uma identidade que a classifique como “Demi Lovato”, para além do vozeirão (que sempre me pareceu utilizado de forma pouco inteligente no decorrer da sua carreira). Se essa identidade foi alcançada aqui? Confira no faixa-a-faixa!

“Confident”  – quando a primeira música de um álbum é a faixa título, geralmente o artista quer impor ou mostrar algo que vai permear o álbum todo. Composta pela própria Demi, além de Max Martin, Savan Kotecha e Ilya, a faixa tem uma autoconfiança expressiva, autoestima nas alturas e super bossy. O vocal da Demi se mostra inteligente e controlado na medida certa, mesmo com a explosão na virada final. A faixa é viciante (me pego cantando às vezes em casa haha), o único porém dessa música é a cara de 2011 que eu tenho toda vez que eu ouço, o que não muda. Fica um misto entre pop e eletrorock que ela poderia ter lançado há quatro anos atrás e ter sido um hit.

“Cool for the Summer” – já resenhada, mais uma vez coloca o vocal da Demi controlado e bem usado na faixa. Mas ainda fico com a impressão de que é uma música da Katy Perry que a Jessie J recusou.

“Old Ways” –  clássico exemplo de música que na preview é extremamente wtf e que ouvindo de forma completa é bem melhor. Curiosamente não foi escrita pela Demi, mas parece muito com a história dela – de superação, de sofrimento e de autoconhecmento. Meio pop, meio R&B com um break urban meio trap, mais uma vez traz um vocal controlado (e muito bem-vindo) da moça.

“For You” – a faixa tem uma coisa meio daquelas power ballads oitentistas, mas não consegue chegar a muitos lugares. Como letra e melodia, achei um tanto dispensável. Primeiro filler.

“Stone Cold” – se essa é a música que a Demi quer mesmo que os jurados do Grammy analisem como um Pop Solo Performance ou Record of The Year, melhor ter escolhido Confident. Os piores vícios vocais da menina estão nessa faixa, que é visível o esforço em ser uma balada mais sofrida, de breaking up, piano based, mas no fim, tem uma produção muito simples, simples demais, com foco apenas em mostrar os vocais da moça, mas sem parecer uma música sólida, que você sente que será ouvida, cantada e referenciada pelas pessoas no futuro.

“Kingdom Come” (featuring Iggy Azalea) – o CD volta a subir com uma das faixas mais esperadas pelos fãs e pela turma da popsfera é o encontro entre Demi e Iggy Azalea, que lembra um pouco a própria “Black Widow” da australiana, mas com outros resultados. Enquanto lá na música da Iggy tinha uma ambientação mais obscura, mais dark, mais ameaçadora; aqui tem algo épico, que fica interessante com o refrão cantado a plenos pulmões. Fica no limite entre ser evidentemente épico e um tanto exagerado, mas no conjunto geral é uma ótima faixa (e olha que já desgostei da Iggy hahaha), tem pinta de single fácil. Eu lançaria essa rapidamente. (ah, e só eu achei essa “so sit me on your throne” safadeiríssima?)

“Waitin for You” (featuring Sirah) – das duas com featuring, eu preferi essa música. Sério. Achei mais fechadinha, mais direta ao ponto, o refrão menos no limite entre ser exagerado e épico – e essa coisa meio Pop meio R&B mas com peso, e uma produção mais elaborada. Gostei mesmo, e acho que um dos dois caminhos desse álbum está justamente nesta faixa (tanto liricamente quanto em melodia). E não era pra lançar essa pérola como promo não minha senhora.

“Wildfire” – com dedo de Ryan Tedder e Stargate, não tinha como dar errado né? A melhor das baladinhas e midtempos no CD, tem uma letra realmente adulta, interessante e bem feita, com os vocais controlados e usados na medida certa. Música gostosíssima, ela poderia ter trabalhado mais com essa turma no álbum.

“Lionheart” – apesar de não ser tão fechadinha quanto a faixa anterior, essa música (que me lembra também algo meio 80’s, 90’s) é muito bacana. Aqui os vocais voltam aos agudos já conhecidos da Demi, mas sem parecer “oversinging” como em Stone Cold. Era pra ela ter feito isso aqui lá.

“Yes” – o segundo filler desse álbum. Sinceramente, esqueci o que estava ouvindo no primeiro refrão, e ficaria muito contente se ela tivesse retirado essa música do CD (porque pelo menos “For You” tem um diferencial).

“Father” – se o resto do álbum conta uma trajetória, seja amorosa, seja de aumento da autoestima, seja de crescimento, aqui é onde pode se encerrar o álbum com uma nota melancólica – mas ao mesmo tempo, perdoando. A relação complicada entre Demi e o pai, incluindo uma certa resignação que é sinal de maturidade. A virada, de versos mais conversados para a última explosão do último refrão, é assustadora, mas é comovente. Afinal de contas, é uma Demi mais pessoal aqui que em todo o CD.

 

Se Demi Lovato queria ser vista como uma artista adulta com esse álbum, acredito que conseguiu. Não apenas na sonoridade e nas letras, mas também em todo o ambiente do álbum, o tom das canções, e de certa maneira – apesar da tracklist estar dividida em uptempos-baladinhas-featurings-midtempos – há uma coesão no trabalho. E o grande ganho do “Confident” é ter mostrado a Demi como uma intérprete, para além de uma cantora. Uma das minhas maiores resistências em relação a ela era o fato de que a moça estava sempre procurando várias oportunidades de “mostrar que sabe cantar” ao invés de focar na emoção da música e no que ela está realmente cantando. Uma diferença que pode aproximar ou afastar ouvintes.

O problema do álbum é que, em estilo, ainda procuro a “Demi Lovato” real, a jovem adulta que já possui um estilo definido, uma marca que a diferencie de suas peers. Há dois caminhos que ela poderia ter seguido – o pop meio eletrorock das duas faixas iniciais; e o pop puxado pro urban/R&B ouvido em “Old Ways”, “Kingdom Come” e “Waitin For You” (que eu vejo muito como um resumo do álbum). Ela poderia ter brincado com esses estilos e impresso algo singular, uma mistura bacana que combinaria com as influências da Demi; ou trabalhado com eletrorock mas sem soar 2011; ou seguir esse pop mais urban/R&B, chegando a trabalhar com R&B mesmo ou flertando com algo retrô. Algo como o melhor dois mundos – o pop/rock dos dois primeiros álbuns x o pop/R&B do “Unbroken”.

Mas a impressão que ficou foi que ela ficou no meio do caminho e ainda não sabe exatamente que rumo seguir. Ao menos a Demi conseguiu amadurecer num aspecto importante: como cultivar e usar sua voz da melhor forma. A partir daí, encontrar o som que seja adequado à capacidade vocal dela é um outro percurso.

Que vai valer a pena acompanhar 😉

Anúncios

4 comentários sobre “Demi Lovato na busca pela própria voz em “Confident”

Comente aqui!

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s